Ads 468x60px

30 de abr de 2015

Fevereiro de 1994 no cinema!!!

Cartaz de Ace Ventura. Cedido por
Wikipedia.
A pessoa doida aqui já tinha feito um resumão do que íamos falar, pertinente ao cinema, de 1994, e, num descuido idiota, apagou tudo!!! Bom, eu não estava tão satisfeita com como a coisa tinha sido feita, de qualquer forma, então vamos começar de novo. Vamos falar de alguns filmes, em ordem cronológica de lançamento, e os que exigirem mais assunto, uma postagem única, receberão esta atenção. Lembrando que não falaremos de tudo o que foi lançado. E sim das coisas que tiveram destaque na mídia, que provaram ser boas ou pelêmicas por algum motivo específico da época, ou, em alguns casos, por serem preferidos meus - afinal, o blog é de quem? -. 

Então, fevereiro de 1994 no cinema. 

Ah... Ace Ventura... Antes desse filme Jim Carrey era um carinha engraçado, de muito talento, num programa chamado In Living Color. Claro, ele já tinha uns três filmes anteriores no currículo. Mas, em Ace Ventura, ele foi a estrela do show. Co-escreveu e pôde soltar suas feras na telona. Para quem não sabe do que eu estou falando, Jim é considerado hoje um dos gênios da comédia. Tem um estilo muito próprio, inspirados em atores comediantes dos anos 60 e 70. Muitas caretas e caracterizações. E é um nome que arrasta multidões para o cinema. Isso tudo começou com este filminho aqui. Não vou entregar enredo e nem nada que possa estragar sua experiência caso resolva assisti-lo uma primeira vez. Se gosta de comédias rasgadas, e por vezes idiota, este é o filme.

Em 1991, um filme chamado My Girl - Meu Primeiro Amor, em Português - era lançado. Um romance bem bonitinho, muito bem escrito, que centrava nos relacionamentos doentios de uma família desestruturada. Toda boa história tem um personagem que nos carrega, que nos faz observar tudo de sua perspectiva. Neste caso, Vada Sultenfuss, uma menina de 11 anos, nos faz este favor, nos pegando pela mão e mostrando o mundo do jeito que ela conhece. Órfã de mãe, com um pai conservador, que se acha moderno, que gerencia uma funerária em casa mesmo. Cuidada por uma avó que está bem velhinha, e precisa de mais cuidados que ela... Acompanhamos como esta menina lida com um amiguinho que desperta emoções mais fortes, o medo da morte, a nova namorada do papai... Parece que o filme leva a lugar nenhum, né? Ah... Anna Chlumsky, a quem foi entregue o papel de Vada, era em 1991 uma menininha muito linda e muito expressiva, que deu todo um colorido para a personagem, e fez com que as audiências do mundo todo a amassem. Uma grata surpresa e um inesperado sucesso. Junta-se a isso, Dan Aykroyd, Jamie Lee Curtis e Macaulay Culkin, entre outros. Todos eles coadjuvando lindamente para a menininha, que em nenhum segundo deixa de ser a protagonista - um bom ator sabe atuar o tanto necessário para fazer o filme bom, sem querer se destacar mais do que ninguém. E uma trilha sonora primorosa, com pérolas da década de 70, época vivida no roteiro. Enfim... Sucesso!!!

Cartaz de Meu Primeiro Amor parte 2.
Cedido por Wikipedia.
Mas chega de falar de 1991, né? O ano é 1994. E eles lançaram a sequencia de My Girl - e foi quando a adaptação usada para o nome em Português ficou bem esquisita. Neste, Vada está no meio da adolescência, e resolve expandir seus horizontes, enquanto busca por rastros do passado de sua mãe. De novo, o roteiro foi muito bem cuidado e todo mundo envolvido atuou em prol de fazer com que Vada fosse o centro de tudo. Uma delícia, mais uma vez. O sucesso não foi tão grande, em parte por que no primeiro muita gente foi atraída pela presença de Macaulay Culkin, que tinha acabado de estrelar Esqueceram de Mim. Neste, isso não aconteceu. Mesmo assim, o filme entra nesta lista por ser um dos meus preferidões. Sou fã da franquia, sou fã de Anna Chlumsky, acho a premissa da história de Vada um primor... Enfim, sou fã mesmo. E recomendo o segundo filme por conta do roteiro mesmo, que é brilhante, e dá uma dinâmica muito boa ao filme, por conta do brilhantismo de algumas atuações, e em especial por uma cena, uma única participação pequena da atriz Angeline Ball, que só não vai ficar gravado em sua memória se seu coração for de pedra. 

E, é isso. Mês de fevereiro coberto, gente. Vou manter assim as postagens sobre 1994. Curtas, pra não aborrecer quem está lendo. Mas vou tentar correr com a publicação delas, para não perdermos o fio da meada, e o assunto não esfriar. Certinho? Espero que estejam gostando. A lista de filmes completa na qual, por enquanto, estou me baseando, está no Wikipedia. Se você quiser dar uma olhada para ter certeza das datas de lançamento dos seus filmes favoritos, e quiser comentá-los nos comentários ou até mesmo em nosso facebook, vou adorar bater esse papo com você!!!



JulyN. 


0 comentários:

Postar um comentário