Ads 468x60px

29 de out de 2013

Chegou a hora de falar de Boyzone... (Parte 03)

Durante o ano de 1997 os meninos gravaram o terceiro trabalho da banda, batizado de 'Where We Belong'. Este álbum consolidou o sucesso do grupo, que finalmente passava a ser respeitado como uma das maiores atrações pop de todos os tempos. O prestígio alcançado pelo grupo, depois de muito trabalho nos álbuns anteriores, garantiu algumas vantagens para este disco. Bons compositores, incluindo os próprios membros da banda, e um direcionamento mais firme quanto à produção do LP. 

O primeiro single deste álbum a ser lançado, em Julho de 1997, foi "Picture of You". Já falamos sobre a música, e a creditamos ao segundo disco em alguns países, não é? Mas para o público do Reino Unido e da Irlanda, esta música passou a ser parte integrante deste álbum, que na época, começava a ser produzido. Na França, uma música no idioma local foi lançada como single em outubro. Tratava-se de "Te Garder Pres De Moi", versão para 'Working My Way Back to You', que contava com a participação de um grupo Francês chamado Alliage. Esta faixa foi incluída no lançamento do álbum na França. 

Em novembro de 1997, o segundo single era lançado. Tratava-se da regravação da famosa 'Baby Can I Hold You', da cantora Tracy Chapman. No mesmo single, era lançada também a faixa 'Shooting Star', um solo belíssimo que Stephen Gately fez para a trilha sonora Irlandesa do filme Hércules, da Disney. O terceiro single foi 'All that I Need', lançado em abril de 1998, um mês antes do lançamento do álbum no Reino Unido. Nesta ocasião, esta era a lista de músicas do LP:


5. "And I
11. "This Is Where I Belong" 
12. "Will Be Yours


Um convite especial surgiu para o grupo no verão daquele ano: gravar uma música de Andrew Lloyd Webber (letra de Jim Steinman) para a trilha sonora oficial de um musical do mesmo produtor, que fora lançado naquele ano. 'Whistle Down the Wind' era uma adaptação do filme de mesmo nome, lançado em 1961. Os meninos pularam na oportunidade, gravaram a música, e a lançaram como single em agosto do mesmo ano. E ela tornou-se a música mais importante da história do grupo. Tratava-se de 'No Matter What'.

Eu queria ser imparcial, mas esta não sou eu. Quem assiste às apresentações ao vivo desta canção percebe claramente o prazer que Stephen Gately sentia ao interpretá-la. A impressão que tenho é que o rapaz estava realizando um sonho ao gravar uma música de um dos maiores produtores de musicais da história. E era com esta música que ele mais brilhava no palco. 

Enfim, o sucesso da música obrigou os meninos a reagruparem faixas para o lançamento do álbum no resto do mundo. Em Novembro, o lançamento para o mercado americano saiu um pouquinho diferente. Além de incluir a música supra citada, os produtores foram espertos ao incluir músicas de compositores americanos, incluindo Diane Warren, considerada a maga das músicas românticas. O single lançado no mesmo mês de 'I Love the Way You Love Me' tentava introduzir de maneira americanizada os meninos a este público tão diferente. A música tinha sido composta originalmente por artistas do universo country, e fora inicialmente gravada em 1993 por John Michael Montgomery. E eis a lista completa das músicas do disco americano:


1. "I'll Never Not Need You" 
4."No Matter What" 
5."Picture of You" 
6."Baby Can I Hold You" 
7."All That I Need" 
8."One Kiss at a Time" 
9."And I" 
10."That's How Love Goes" 
11."Where Did You Go" 
12."Will Be Yours" 
13."Must Have Been High" 
14."You Flew Away" 
15."I Love the Way You Love Me"



Também em Novembro de 1998, uma segunda edição do álbum foi lançada no Reino, incluindo as faixas 'No Matter What' e 'I Love the Way You Love Me'. A versão japonesa do disco, por sua vez, não contava com essas faixas, e sim como 'Never Easy', 'She's the One' e 'Shooting Star'.


O sucesso trouxe dinheiro para jovens inexperientes, e as tensões internas, as brigas de ego e outros fatores começaram a interferir nos relacionamentos entre os meninos. Ronan Keating perdeu sua mãe para o câncer de mama em 1998, e sua família começou a desmoronar depois disso. A bebida passou a fazer parte de sua vida diária, apesar de, no mesmo ano, ele ter ganhado talvez o maior e melhor apoio com o qual ele poderia contar. Ele e Yvonne se casaram em Abril. E, opinião pessoal minha, ela passou a segurar muita barra pesada de seu marido em crise familiar, crise no trabalho, crise psicológia, vício...

O sucesso pode esconder muita coisa, camuflar muitas crises. Além de Ronan, outro membro vivia um impasse pessoal. Stephen Gately era homossexual, e vivia o desespero de não saber se saía do armário ou não. Temia a reação do público feminino do grupo. Temia prejudicar seus companheiros de banda. O jornal sensacionalista 'The Sun', naquele mesmo ano, conseguiu fotografar Steo com seu namorado, ex-membro da banda 'Caught in the Act, Eloy de Jong. E, antes de publicar a matéria, os jornalistas entraram em contato com Gately, para negociar uma entrevista exclusiva. Ele poderia se revelar gay, e parecer seguro e certo de si mesmo para milhões de pessoas, ou o jornal podia simplesmente publicar as fotos, como o grande furo do ano. A escolha era dele. Numa tentativa de minimizar os danos, ele escolheu a primeira opção, e se tornou o primeiro membro de uma boyband a admitir a homossexualidade.



1999 entrava cheio de crises a serem manejadas. Mesmo assim, os rapazes continuaram trabalhando. Eles regravaram uma música originalmente de Billy Ocean, e encurtaram seu título para 'When the Goin Gets Tough'. A música fazia parte do projeto anual 'Comic Relief Telethon'. Foi lançada em março de 1999, e se tornou um grande sucesso. O próximo single lançado foi da regravação de 'You Needed Me', originalmente gravada em 1978 por Anne Murray. No mesmo mês, maio, era lançado o álbum 'By Request', um Greatest Hits que introduziria os fãs ao período gelado do hiato da banda. Para não perder o hábito, foram várias versões diferentes deste LP, em diferentes partes do planeta. A lista principal das músicas era esta:

1."I Love the Way You Love Me" 
2."No Matter What" 
3."All That I Need" 
4."Baby Can I Hold You"
5."Picture of You" 
6."Isn't It a Wonder" 
7."A Different Beat" 
8."Words" 
9."Father and Son" 
10."So Good" 
11."Coming Home Now" 
12."Key to My Life" 
13."Love Me for a Reason" 
14."When the Going Gets Tough" 
15."You Needed Me" 
17."All the Time in the World" 
18."I'll Never Not Need You" 
19."Walk On (So They Told Me)" 

A versão francesa do disco obviamente contava com a faixa "Te Garder Pres De Moi". A versão japonesa contava com mais três músicas: 'Everyday I Love You', 'Will I Ever See You' e 'No Matter' (composição de Keith Duffy). A versão Australiana ainda contava com as faixas: 'I've Got You', 'Let the Message Run Free', 'Get Up and Get Over' e 'Mystical Experience'. Mais tarde ainda naquele ano, um EP com alguns lados b-s de singles foi lançado. As faixas contidas eram: "What a Wonderful World" (com Alison Moyet), 'Love Can Build a Bridge' (com Comic Releaf Supporters), Worlds Can't Describe e Too late Tonight.


Em Julho de 1999, quando o grupo promovia este disco, Ronan foi convidado a gravar 'When You Say Nothing at All' para o filme Notting Hill. E o fez. Lançou a música que se tornou o seu maior sucesso, e com isso dava início a uma muito bem sucedida carreira solo. Este passo dado por ele ajudou a agravar a tensão entre os integrantes do grupo.

Em novembro eles lançaram o single de 'Everyday I Love You', que não fazia parte do álbum lançado no Reino Unido. Foi depois deste lançamento que eles tiveram uma conversa importante, e decidiram se separar por um tempo, à princípio, para que os meninos pudessem buscar seus projetos pessoais. Claro que o desejo de Ronan de se lançar como um artista solo foi determinante para esta decisão... Sua vida pessoal estava bem bagunçada, incluindo até um processo que seu próprio pai movia contra ele. Lidar com os egos de mais quatro pessoas parecia demais naquele momento. O sucesso da música de Notting Hill encheu o moço de expectativas de que conseguiria manter o nível de popularidade sozinho... Em breve vamos falar mais à fundo sobre o Ronan. Por enquanto, paramos por aqui...


Andrew Cowles e Stephen Gately.

O 'término' do Boyzone foi muito difícil para Steo. Ele encontrava naquele grupo o apoio que não recebia da família, por conta de sua condição de homossexual. O namoro com Eloy de Jong acabou sofrendo, bem como a sanidade mental dele. De 2000 a 2002 ele lutou contra a depressão e o vício em drogas prescritas, e teve que tentar forjar uma carreira para si. Foi o primeiro a lançar um disco solo, e alcançou moderado sucesso. É claro que, com a vida pessoal desorganizada, ficava bastante difícil focar no profissional. Em 2003, ainda tentando se recuperar dos baques sofridos, foi apresentado a um empresário da internet, Andrew Cowles, por amigos em comum - Elton John e David Furnish. No final do mesmo ano, os dois casaram em Las Vegas. E, em 2006, oficializaram sua união na Europa. Durante esse tempo, com a calma e firmeza de Cowles, Steo foi se recolocando como um profissional multifacetado, e re-encontrando um equilíbrio. Estrelou musicais, peças teatrais e fez vários trabalhos na televisão. Em adição, tornou-se, relutantemente, um ativista para os direitos civis dos homossexuais. Ele mesmo só queria viver a vida e ser feliz. Mas acabou se tornando um grande expoente do movimento civil.


Os outros integrantes do grupo também buscaram seus espaços. Keith participou de vários programas de tv, como apresentador e participante de games e reality shows. E passou a advogar em prol de uma maior consciência popular em relação ao autismo, depois que sua filha nasceu portadora, em 2000. 

Mike virou ator... Alguns filmes e muitas participações na tv estão em seu currículo. E talvez seja ele o portador da vida pessoal mais organizada, pois priorizou sua atenção para a família durante o tempo em que o Boyzone esteve parado,



Shane se voltou para sua maior paixão: carros. Passou a participar de corridas oficiais, enquanto também aparecia como convidado em vários programas de tv, como uma personalidade. E também teve seus probleminhas com as bebidas... Lynch casou-se em 1998 com Easther Bennett, vocalista do grupo de R&B Eternal. Infelizmente eles já estavam separados em 2000. Ou seja, acrescentava-se ao conjunto de crises do Boyzone mais este probleminha pessoal. O moço se debateu um pouquinho por uns dois anos após o término da banda, até converter-se ao cristianismo e começar a colocar ordem na vida.

As amizades permaneceram. No começo, assim que a banda se separou, houve uma distância inicial natural, para curar as feridas das brigas internas. Com o tempo, também naturalmente, os meninos foram se reaproximando. Keith e Shane colaboraram em algumas composições. Ronan e Steo estavam sempre prestigiando um ao outro em shows e eventos. Mike talvez tenha sido o membro que mais tempo ficou afastado dos outros, e incrivelmente o que menos tinha motivos para isso. Sua natural calma acabou por fazer com que ele simplesmente seguisse adiante com a vida, sem procurar os outros com tanta frequência. Mas eles estavam sempre se falando de tempos em tempos, pois sentiam saudade das boas coisas que a banda lhes proporcionou. A verdade é que eles passaram pelas maiores crises pessoais até então juntos, um dando apoio para o outro. E sentiram falta, depois de um tempo, desta irmandade. Na segunda metade da década passada, as feridas pareciam estar fechadas, e a saudade de uma maior convivência começava a bater...

No próximo capítulo falaremos da volta do grupo!!! Da triste tragédia que se abateu logo depois, e da tenacidade dos rapazes. 







JulyN.

0 comentários:

Postar um comentário